quinta-feira, abril 25, 2013

"Se eu quisesse, enlouquecia." - Herberto Helder

A verdade é que já não reconheço o mundo. Não me reconheço no mundo. Um mundo que pressupõe, como regra oficiosa, que há um género para amar e um género para foder.

Isso não vem na Bíblia nem nos Rolling Stones, não vem no Espinosa, não vem na "Viagem de inverno", não vem no Petrarca nem no "Capital", não vem em nenhuma flor nem em nenhuma stripper, não vem no discurso do Cavaco nem no Big Brother, não vem na consulta do psi nem no manual de física quântica, não vem no orçamento de Estado nem no orçamento retificativo de Estado, não vem no programa da Troika, não vem nos mupis com o Peixoto, não vem no Banksy nem no Shakespeare, não vem no Darwin nem no ganso patola, não vem na Disneyland nem no programa da disciplina de português. Acima de tudo espanta-me que também só não venha no meu músculo cardíaco.

Espero enlouquecer.

Sem comentários: