domingo, julho 08, 2012

Partilha 139

(poliedro lascado)


A Decisão de verter ou não verter uma lágrima é tão moral e tão categórica para a energia do mundo como a inundação voluntária de um vale que esteja carregado de gravuras do paleolítico (certos atores, dados à magia, diz-se que sabem corar em grafíti).
Sempre que o girassol se faz helíaco, sempre que a alvéloa limpa o céu, sempre que o telhado seca e o rapaz chega aos agudos da sua flauta em fá, ressoa em força a questão: poderemos voltar ao início e fazer, desta vez, tudo bem (comer mais fruta, fazer desporto, lavar os dentes após cada refeição)? Sabemos que a infância acabou quando a tristeza se tornou imemorial.

Sem comentários: