segunda-feira, junho 01, 2009

O estado das obras

Há já bastante tempo que tinha dado por encerrado o meu livro (de inéditos) "nu abrir em nó", de temática erótico-amorosa.

Contudo, recentemente acrescentei-lhe cinco novos poemas, cujos títulos são os seguintes: "Azul", "Match point", "Tenrura", "In absentia" e "Partitura para oboé d'amor (poème à clef)". Os últimos dois parecem-me particularmente bem conseguidos. Tenho mais duas ideias a assediarem-me (textos provavelmente intitulados "Évora" e "Quem me dera ser mosca tzé tzé", assim mesmo com z), mas parece-me que o assédio não é forte nem concreto o suficiente.

O título da própria recolha também está aberto a negociações. O sentido é óbvio: evoca o laço que surge entre duas pessoas que partilham a sua nudez (e fá-lo a partir do infinitivo do verbo). Mas não me parece uma expressão eficaz (é mais bizarra do que eloquente). Aceito opiniões...

De qualquer modo, fica aqui esta nota narcísica para os meus futuros leitores (não partilharei aqueles textos no blogue).

Sem comentários: