quinta-feira, maio 28, 2009

Ne medida do bebível

Na poesia de Umar-i Khayyam, a embriaguez funciona ao mesmo tempo como revolta herética contra o fado que a criação divina impôs ao homem, e como fonte de inspiração para o homem fazer, na medida do bebível, a criação da sua própria vida.

Sem comentários: