terça-feira, fevereiro 03, 2009

Johanna Sigurdardottir

Por que razão não ouço os comentadores da praxe dizerem: isto só poderia acontecer na Islândia, a América tem muito a aprender com esse grande país de contrastes que é a Islândia, a Islândia ainda continua a ser um farol para o resto da humanidade, isto é a História a fazer-se perante os nossos olhos...?

Não poderemos, aliás, acompanhar a cerimónia da tomada de posse da senhora Sigurdardottir em directo pela TV (gosto muito mais de dizer um nome complicado como Sigurdardottir do que um monossílabo facilmente pronunciável tipo... sei lá, Bush)? Os suplementos dos jornais não quererão fazer uma reportagem de muitas, muitas páginas sobre o assunto? Não há pins com o rosto da senhora (eu não uso, mas passava a usar)? Um rapzinho qualquer a bater no assunto?

Será que a Islândia não é sexy o suficiente (mas por que não sei eu o que se passa no Bangladesh, no Burkina Faso, no Butão)? Será o silêncio um sinal de indiferença aprovadora (estão a gozar com a minha cara)? Terão os homossexuais sofrido pouco ao longo da História? Ou será que a tolerância perante as orientações sexuais minoritárias está muito menos interiorizada do que o horror ao racismo?

Hipócritas: as vossas máscaras, por favor.

Sem comentários: