sábado, dezembro 13, 2008

New and Old York

No princípio, era o não-conhecimento glorioso.

Mas o espaço temporal do espírito tem dois atributos (bondosos): o conhecimento e a ignorância.

O espaço de um atributo não transcende o espaço do outro: ambos se complementam num Espaço de imanência.

Cada verdade das ciências ergue uma construção positiva no espaço do conhecimento. O conhecimento é uma metrópole em contínuo crescimento vertical.

Cada evidência das humanidades é fundada na tensão (e na ansiedade) da ignorância restante. A ignorância é uma ruína em progressiva erosão vertical.

Se algum dia o conhecimento ocupar, escatologicamente, todo o espaço do espírito, as evidências das humanidades não deixarão de ter espaço (sentido). Elas passarão a não se distinguir da mais gloriosa não-ignorância.

Sem comentários: