sábado, setembro 13, 2008

Enganos do algodão

Dizem-me que os meus ensaios são muito claros. E dizem-no como um elogio a uma suposta humildade que me levaria a tentar escrever de modo a que toda a gente me percebesse.

Enganam-se: eu escrevo de forma clara porque eu próprio só consigo compreender a sério uma ideia se ela me for exposta com absoluta clareza.


(e com economia de meios e com a devida exemplificação)

Sem comentários: