sábado, junho 21, 2008

Perfil 2008

O seguinte jogo, narcísico e inútil, surgiu-me como ponto de partida para a escrita de um livro (que ainda não sei se vou concretizar) cujo título será (ou seria) qualquer coisa do género: "Diário Pornográfico". Tratar-se-á (tratar-se-ia) de um conjunto de anotações, entre o ensaio rigoroso e a coscuvilhice porca (com laivos de confissão e de lirismo), sobre a questão do prazer (questão subjectiva, e por isso universal). Seria um bom exercício de auto-terapia de impudor, mas acima de tudo um manifesto político contra as morais de castidade, contenção e sacrifício que são propaladas por todas as religiões.

Talvez se algum dia eu estiver a tornar-me demasiado respeitado (e respeitável), eu arranje coragem para publicar o que tiver eventualmente escrito.

Por enquanto, fica aqui o meu perfil de fascínios e nojos (do ano 2008 d.c.), incompleto e achado por esforçada associação livre, que pode pelo menos funcionar como documento capaz de fazer luz sobre o tom que eu tento produzir nas minhas criações:




Gosto de
: queijo com mel, Max Ernst, camélias, berlindes, "The office" (versão inglesa), o Sul, oboé, diospireiros (mais do que diospiros), filmes porno, crónicas de Rui Tavares, valsa inglesa, "O cerejal", bicicletas, os Gato Fedorento, a canção "One for my baby (and one more for the road)", viajar, doces conventuais, blogues, o Carnaval, estudar, travellings (no cinema), champanhe doce, bed & breakfast hotels, cabelo grisalho, Victor Erice, música antiga, caracóis (vivos, não para comer), pulsos, chá de alcaçuz, Johnny Depp, Juliette Binoche, o Deus de Espinosa, seda, caligrafia árabe, epistolografia, Brooklyn, figurações do paraíso, papel vegetal, cafés (o lugar), a Neue Galerie (em Nova Iorque), cerveja preta, espanta-espíritos, Paul Klee, ficção científica, ténis (o desporto), comida indiana, pássaros, "The daily show with Jon Stewart", chocolate de culinária, a ideia do Japão (que nunca visitei), corpos atléticos sem obesidade nem ginásio, Mozart, sapatilhas, Monopoly, Camilo Castelo Branco, comboios, cozinhas, cavalos, Dylan Thomas, gelado de chocolate e menta, a língua russa, chapéus, "Some came running" (o filme), velas e incenso, Tarkovski, especiarias, alquimia, expressões idiomáticas, filmes passados em Paris, Amarante, Louis Garrel, Beatriz Batarda, felinos, sangria, praias tropicais, o outono, tango, ciência, ícones, borboletas, arroz basmati, Maria Gabriela Llansol, o Brasil, a Escócia, espuma no banho, o Musée Gustave Moreau (em Paris), Manoel de Oliveira, crepúsculos, calor, pubs, port de bras, iogurte, a Mafaldinha, limpar o pó, surrealistas, o Rio Douro, frutos silvestres, Fellini (que também fez um jogo destes), pizza, Veneza, gomas, tragédia, poesia.


Não gosto de: cerveja branca, Stratford-upon-Avon, potpourri, George Clooney, Calista Flockhart, o cubo de Rubik, futebol, sushi, a ideia da China (que nunca visitei), saxofone, o arco-íris, crónicas de Vasco Pulido Valente, valsa vienense, "O tio Vânia", Beethoven, o Trivial Pursuit, economia, passar a ferro, tenores, o Festival da Eurovisão, o Second Life, livros luxuosos, Werner Shcroeter, cabelo oxigenado, conduzir, o género romance, Pablo Neruda, soja, "The sound of music" (o filme), veludo, pepluns, leite simples, e-mails, a Broadway, beleza andrógina, a cor roxa, a Suiça, caniches, filmes históricos, Ferrero Rocher, fotos porno, automóveis, unicórnios, Jay Leno, melodrama, gravatas, o réveillon, Almeida Garrett, exercício físico, panorâmicas (no cinema), aviões, testes de Q.I., jazz de vanguarda, hamburguers do MacDonalds, dinossáurios, violência, vinho rosé, mil-folhas, neo-realistas, chá de hipericão, filmes de terror, Spielberg, discotecas, pliés, gelado de morango, aranhas, pop arte, Fátima, grelos, cotovelos, maçonaria.

1 comentário:

dora disse...

( gosto: de te conhecer mais um pouco...

não gosto: de não nos termos conhecido naquele dia.

;)