quinta-feira, junho 19, 2008

Ângulo

É fácil dizer, por exemplo, que o recurso à antítese na construção de um poema redunda sempre em cliché. De facto, em 99% da poesia que se socorre dessa ou de outras facilidades, o resultado é deplorável. No entanto, o poeta relevante é precisamente aquele que tenta, dia após dia, redescobrir e actualizar as razões de ser de cada instrumento (e de cada osso) do seu ofício. Não é o puritano que deixa de usar, mas o explorador que reinventa o uso.

Sem comentários: