sexta-feira, junho 06, 2008

Declaração de voto

Faço parte daquele vasto grupo de pessoas que anseiam pela derrota dos Republicanos nas próximas eleições dos Estados Unidos da América: o mundo precisa desta mudança. E se eu tivesse direito a isso, votaria em Barack Obama sem pensar duas vezes.

No entanto, não sofro de Obamania (nem de Obamamania, que é uma forma mais adiantada do padecimento). Não tenho interesse absolutamente nenhum por campanhas eleitorais, não tenho a menor paixão pelo virtuosismo dos grandes oradores, nem um frissonzinho pela suposta aventura do jogo político. Pratico apenas uma cidadania do presente: tento perceber as qualidades e os podres da acção dos que foram eleitos e já se encontram no exercício do poder (até estou preparado para uma eventual Barraca Obama, que é um trocadilho de mau gosto que mil bloggers terão igualmente encontrado).

Ainda por cima, custa-me estar fascinado por um homem que, apesar de afirmar que não acredita na eficácia da pena de morte, não defende a sua abolição. Será apenas para não afugentar por completo o eleitorado de uma América doentiamente conservadora? Este género de coisas, nunca as hei-de compreender.

Sem comentários: