terça-feira, maio 27, 2008

Colunistas vertebrais

Assim como eu gostava que os socialistas fossem menos aristocráticos, que os comunistas fossem mais inteligentes e os bloquistas tivessem algum sentido de humor, também gostava que os ideólogos de direita fossem mais honestos.

Há gente que passa uma vida inteira a batalhar contra a intromissão castradora do Estado nas nossas vidas particulares. Não poderia ser mais solidário com essa luta. No entanto, preferia que esses mesmos assumissem que o universo capitalista fora-do-Estado também não garante liberdade absolutamente nenhuma. Que somos todos escravos da publicidade, do consumo, dos desígnios abstractos e indiferentes do polvo empresarial (da economia, enfim), e que a única vantagem do capitalismo (cuja sofisticação advém de, em vez de recorrer à força física, usar o imaginário como matéria-prima da opressão) é a de ser um sistema que nos deixa com uma tola e inconsequente ilusão de liberdade.

Sem comentários: