domingo, março 02, 2008

Velatura

Reconheço que não tenho muito sentido do timing, mas enfim, lá vai...


França: proibir o uso do véu às mulheres muçulmanas em determinados locais (laicidade oblige), ou permiti-lo em nome do relativismo cultural?

Eu diria que a lei deveria apenas proibir a obrigação. Ou seja, se é de livre vontade, se é por convicção, que uma mulher quer viver o seu quotidiano encoberta por um véu, o Direito não a deve violentar nas suas escolhas (o Estado deve saber reservar-se para assuntos mais graves). Mas se a mulher usa o véu porque é obrigada, por uma cultura, uma fé, um preconceito masculino, uma família, e não porque o pretenda sinceramente, então a ordem jurídica deve ter mecanismos preparados para defender a integridade da sua liberdade. Defendê-la inclusive das agressões físicas que pode sofrer.

É claro que é difícil definir aquilo que, no fundo, somos ou não obrigados a pensar e a fazer (a educação é já uma forma de formatação da criança). Mas esse é um problema da filosofia, talvez do Direito Natural. A lei deve ser mais concreta e concentrar-se nos casos em que a usurpação da liberdade é evidente e prática.

Parece-me a única atitude digna de um Ocidente que se crê civilizado.

Sem comentários: