domingo, outubro 07, 2007

Ingestão

Dizem-me que eu tenho ideias que não se podem pôr em prática.

É verdade e eu fico contente. Desse modo sei que, ao contrário daqueles que têm ideias que se podem pôr em prática, eu não vou esmagar ninguém.

2 comentários:

Miguel Drummond de Castro disse...

Mas assim par délicatesse on perd notre vie...

Dilema de sempre do poeta, envolver-se na praxis política, e ter que esmagar, ou sonhar um depois, o regresso ao mundo natural e espontaneamente justo, em que depois das utopias se abrem as heterotopias?

Maiakovski não suportou a tensão, Brecht tentou dissipá-la com o seu psicodisléptico suave, o tabaco.

Seja como fôr faz parte, essa tnsão, da famosa angústia de interpretação do nosso papel enquanto artistas.

Sá Carneiro atirou-se de fraque para o Centro do Vulcão.

pedroludgero disse...

Não leve muito a sério este post. Tentei fazê-lo o mais ambíguo possível__