quinta-feira, setembro 27, 2007

Acha que sabe mais do que uma criança de 5 anos?

Não preciso de ser pedopsiquiatra. Basta-me a memória para eu pressentir a dor imensa que deve surgir com uma mudança de figuras parentais aos cinco anos de idade.

No entanto, a Lei é pura e dura (e Sed-lex parece mesmo o nome de um medicamento que nos faz morrer da cura): o espermatozóide (ainda que renitente e tardio) é afinal coisa mais válida que a saúde mental de um inocente.

Só espero que, da próxima vez que se discuta a possibilidade de adopção por casais homossexuais, o Direito não volte a dizer: vinde a mim as criancinhas.

1 comentário:

Miguel Drummond de Castro disse...

Esta paranóia parental que percorre o país (e o mundo) é significativa. Mas eu não me punha nas mãos, ou seja não punha nem o meu inner child nem o outer, nas mãos daquele pedo-soft-glicose do Eduardo Saa.

A conclusão que se tira, do abalo Maddie, e daquela criança que vai de Herodes para Pilatos, do sargento baixote para o pai biológico (esta do pai biológico abre o caminho para todo o tipo de pais, p.ex. o pai zoológico, o pai filológico, o pai ideológico ....Per Baco! a quantidade de pais que uma pessoa hoje em dia tem!bem já bastava aturar um)

Eu acho que a culpa desta confusão toda é do Eduardo de Sá. Cada vez que ele abre a boca dez mil criancinhas ficam em perigo. Outro terrível demolidor de infantes é o Stretch, que faz uns poemas horríveis cheios de sentimento sobre criancinhas. E o terceiro responsável pelo massacre dos inocentes é o novo Dr.Pilinhas, o confuso irmão do ultra confuso ex-presidente Sampaio, o Daniel Sampaio.

DEixai as criancinhas em paz! Eu em miúdo queria é ver-me livre de adultos, sobretudo de adultos "responsáveis" (que no meu tempo eram padres e tarados, ou seja padres logo tarados). Continuo com a mesma opinião. Ondequer que aparecam com o seu sorriso de Vanessa ou Márcia ou Mariza tamos fritos.

Agora são padres ateus, melosos, com as suas Love bombs e compreensão. Deviam era ir para a rua, essa gente toda de gabinete, securitária.

Cada Infância é um Crime Novo! Os anjos republicanos que se preparam vão levar-nos todos a novos gulags.