quarta-feira, agosto 01, 2007

Questões de superfície

Não consigo apreciar o cinema de Quentin Tarantino, pela simples razão de que nunca poderíamos pertencer os dois (autor e espectador) ao mesmo Clube de futilidade.

Sem comentários: