quarta-feira, agosto 15, 2007

Documentário

Na estufa Lagartagis do Jardim Botânico do Museu Nacional de História Natural em Lisboa, pude observar diversos lepidópteros a recolherem pólen das flores que aí lhes são oferecidas de bandeja.

Curiosamente, também os bichos têm hábitos alimentares que os distinguem entre si. Como se sabe, a lantana é uma magnífica planta caracterizada pelo facto de que cada uma das suas flores é fractalmente composta por uma miríade de delicadas micro-flores (nada disto é linguajar científico, claro). Ora, perante o pujante buffet assim oferecido, uma das borboletas enfiava o seu longo garfo negro dentro de cada micro-flor durante uns míseros segundos, e logo o retirava e colocava noutro cálice, e depois noutro, e ainda noutro... Como se a variedade a transtornasse e a sua saciedade só pudesse resultar de uma experimentação fragmentária.

Mas logo encontrei outra borboleta, provavelmente mais madura, obviamente mais sofisticada, que penetrava o seu doce (e sabiamente escolhido) micro-prato com toda a calma, e que não o pretendia abandonar até ele estar todo rapado (e presumo que chupado com pão). Talvez nem passasse à seguinte opção do menu.

Uma questão de personalidade.


(Foto gentilmente roubada da wikipédia)

Sem comentários: