quarta-feira, julho 11, 2007

Dicionário 12

Que sorte.

No reino da sinonímia, os pelintras (alguns até já só dão pelo nome de peralvilhos) podem ser conhecidos como petimetres.

Curiosa herança da bela língua francesa, que em português denuncia mais a pequenez dos seres do que a dos supostos mestres.

Mas a maravilha não é essa: é aquele r que ali falta, e que assim faz lembrar um homem ambicioso que, quando arranha o seu mítico esperanto, o faz com uma moleza (e um desconhecimento da pluralidade) que denuncia traição à grandeza ou mestria que almeja (ou que já possuiu).

Já se sabe: tudo cai. O conhecimento peripatético torna-se jogging patético (há aqui uma confusão histórica, eu sei), e etc. Mas se um canhoto vos apertar a mão com moleza, qual é a impressão duradoura que vos deixa?

Antes uma idade do ferro, que uma age (d)e fere.

Sem comentários: