segunda-feira, julho 02, 2007

Celebração

Ontem, dei por concluída a minha quinta colectânea de poesia. Chama-se "nu abrir em nó", e constitui a minha contribuição para a lírica amorosa.

Agora há que fazer eventuais reescritas (corrijo muitíssimo a prosa, deixo os poemas quase intactos na sua frescura), e acima de tudo encontrar a ordem justa para os textos (uma dor de cabeça).

Ou seja, o livro está parido. Só começará a respirar quando publicado.

Sem comentários: