terça-feira, junho 26, 2007

Casting 11

Ninguém sabe que idade tem Ricardo Aibéo.

Se me dissessem que era homem em redor dos seus quarenta, eu responderia que de modo algum, vê-se logo que é um rapaz de muito menos estações. Se me apontassem a sua longevidade para os vinte e sete, vinte oito anos de palco da vida, de imediato eu protestaria em nome de uma idade bem mais madura.

O seu corpo mais intemporal do que atemporal, a inteligência revelada sob cada palavra, o rigor não sentimental do seu convívio com gravidades e elegâncias, fazem dele um excelente actor shakespeareano (essa ave rara em Portugal, ave indefinida em qualquer lugar).

Talvez por o ter acompanhado nos grandes assuntos de "Júlio César", o seu Trigorin de "A gaivota" me pareceu agora tão mesquinho, tão sério em inteligência quão fútil na sua aplicação.

Se a actriz tem maior amplitude de voo corpóreo (afinal, é uma gaivota), o actor é o operário do (muito ou pouco) peso do espírito sobre a matéria. Em si, a virilidade é mina a pesquisar.

Sem comentários: