quinta-feira, maio 24, 2007

Dial Ethics

O poeta ainda verde lança uma tese sobre o mundo. Não tanto porque o queira explicar, mas para fermentar a imagem que dele o leitor possa ter.

O mundo responde com a sua evidência, com o seu corpo carente de imaginação, mas transbordante de sabor. O mundo é prova (e provação).

Por fim, o poeta vintage sintetiza o conflito numa ética do desassossego.


ela me servia vinho:
o vinho do seu olhar,
às vezes o do seu copo,
e outras vezes o da boca.

Al-Mu'tamid
(tradução de Adalberto Alves)

Sem comentários: