sábado, maio 05, 2007

Adenda a "No escrínio 22"

No poema de A. F. Alexandre, a protecção do retratado com folhas de acetato alude também à figura tutelar da estufa (do afecto). Não é por acaso que o sujeito lírico diz que vai florescer: tem condições adequadas para o fazer. No entanto, o poema corrói este sentimento pacífico quando, uns versos mais tarde, o retratado já não é protegido, mas sim perseguido. É que o acto de retratar hesita sempre entre a perfilhação e a mais crua caça.

Sem comentários: