sábado, abril 28, 2007

Post desinteressante

Talvez não fosse assim tão absurdo conceber uma Ética baseada na ideia do desinteresse pelo próximo.

Algum benefício haveria de resultar do facto dos Outros não serem suficientemente interessantes para lhes infligirmos sofrimento. Visto que o Mal implica sempre ou algum prazer ou pelo menos a concepção do Outro como obstáculo, o desinteresse traria preguiça para o impulso cruel, sem que para isso fosse preciso alimentar ilusões quanto à natureza humana.

E por outro lado, que esplendoroso mundo seria este se ninguém tivesse interesse na modificação do Outro, na sua salvação? Já tivemos os missionários a imporem o catolicismo aos povos colonizados, Bush levando a democracia ao mundo à força de bombas, os taliban a protegerem o sexo feminino da suposta imoralidade. E sejamos francos: não é claro se o falhanço do comunismo se deveu apenas a uma traição da Revolução, ou se haveria uma componente da sua utopia que era sádica não por ser interesseira, mas simplesmente por ser interessada. Gosto mais do Cristo que tentava libertar do que aquele que conseguía salvar.

Importante seria o restabelecer de um sentido de urgência, que desapareceu por completo do mundo confortável do Ocidente (como esquecer Nova Orleães). Uma urgência fundada no mais puro instinto de sobrevivência. Talvez assim pudéssemos sentir interesse pelo distante.

Sem comentários: