sábado, abril 28, 2007

O coleccionador 6

No poema "A furna" (incluído no livro "O Bicho Harmonioso"), Vitorino Nemésio diz ao leitor que se debruçou no seu próprio poço de modo a poder ouvir o seu coração (tudo isto é conotação convencional), e que por causa disso ficou pálido e sem pulso: o sangue fora-lhe todo para os ouvidos (agora surge uma denotação que desconstrói).

Uma deliciosa ironia que muito nos diz sobre a relação corpo/pensamento.

Sem comentários: