quarta-feira, março 21, 2007

Confissão 19


Nas narrativas antigas, o momento que mais me preenche é sempre aquele em que o vate (o aedo, o trovador) pega num instrumento que não conheço, e com acompanhamento de uma música desconhecida, canta um poema ao qual não tenho acesso.

É a imaginação em puro-sangue.

(imagem do poeta Sayat Nova)

Sem comentários: