sexta-feira, dezembro 29, 2006

Açores

Vitorino Nemésio tem mais liberdade de concepção: ele divaga, torna o poema impuro, mistura os alhos com o hálito dos bugalhos, amplia, implode, e daí a sensação de desconforto do seu ritmo anti-clássico.

Natália Correia é mais expressiva ao nível sonoro: ela faz coincidir o momento de mais fulgor de uma imagem inesperada com a consonância autoritária de uma rima, ela faz música violenta.

Sem comentários: