quinta-feira, outubro 26, 2006

O destino do corpo

Pergunta-se: como pode o Rei D. Dinis estar lado a lado com a Rosa Mota?

Ora, há uns posts atrás, eu dei uma numa cravo. Vou agora passar à ferradura, utilizando as imortais palavras do rei-poeta:
Ai flores, ai flores do verde pino
Se sabedes novas da Rosa Mota?
Ai Deus, onde isso já vai...
(Moral do poema: quem corre mais rápido, chega mais cedo à meta).

Sem comentários: